pos graduacao intro


O Programa de Pós-Graduação em Ciência Política (PPGCP) da Universidade de São Paulo foi criado em 24/11/1973 e iniciou suas atividades em 1974. Contando com Mestrado e Doutorado, o PPGCP dispõe de 20 professores em seu corpo permanente e sustenta há duas medições trienais da CAPES a nota máxima de sete (7).

 

O PPGCP tem se destacado nos últimos anos por sua produção intelectual docente, por passos consistentes rumo à internacionalização, pela formação e produção intelectual de seus alunos, pela liderança institucional e visibilidade de suas iniciativas nas áreas de Ciência Política e Relações Internacionais. Responsável pela formação de parcela significativa dos doutores em Ciência Política no País, os egressos do PPGCP ocupam posição de destaque no sistema universitário público e privado, no governo e na administração pública, nos três níveis da federação, assim como em reconhecidas organizações não-governamentais. Do total de professores permanentes, 70% são bolsistas de Produtividade em Pesquisa do CNPq. O PPGCP orienta-se pela formação pós-graduada de alto nível e pela pesquisa inovadora nas áreas de teoria política, política brasileira e comparada e relações internacionais. Com o ingresso no Programa de Excelência (PROEX) da CAPES em 2011, o PPGCP pôde renovar seus objetivos de médio e longo prazos, traduzidos hoje em três metas principais: 1. Produção intelectual e Internacionalização; 2. Formação e capacitação discente e 3. Inserção social e cooperação acadêmica institucional.

Quanto à Produção Intelectual e à Internacionalização, o plano de metas reitera a importância de consolidar as linhas de pesquisa existentes, mantendo a consistência e a coerência entre linhas, projetos de pesquisa, produção docente e formação discente (teses e dissertações). Firmou igualmente os compromissos de 1) propiciar melhores condições e estímulos à produção docente, com ênfase na publicação de resultados de pesquisa na forma de artigos em periódicos e livros, nacionais e estrangeiros; 2) intensificar a internacionalização da produção docente, desde as fases iniciais de formulação e implementação de projetos de pesquisa até a divulgação e publicação dos resultados; 3) garantir a crescente internacionalização do PPGCP, por meio do estímulo a estágios de pós-doutorado para docentes no exterior, dando-se prioridade aos contratados mais recentemente; do estabelecimento de programas específicos que permitam visitas e estágios de curta duração de pesquisadores estrangeiros ao PPGCP; da criação de oportunidades para estágios de longa duração, desenvolvimento de pesquisa e experiência docente a recém formados no exterior. A participação em fóruns, associações e eventos, nacionais e internacionais, que propiciem a consolidação e divulgação de resultados de pesquisa, é considerada muito importante nessa dimensão. Para tanto, a distribuição equilibrada das responsabilidades de ensino, pesquisa e orientação no interior do corpo docente é fundamental. Da mesma forma, a estruturação do ambiente local para a produção intelectual e para a recepção dos professores visitantes e de alunos estrangeiros é necessária, mediante a reforma e modernização dos espaços e recursos de tecnologia. Por fim, mas não menos importante, nosso plano de metas reitera a importância de meios tradicionais de inserção internacional como os estágios, a bolsa-sanduíche, a participação discente em eventos, ao lado de novas formas como a realização do duplo diploma ou diploma integrado entre PPGCP e instituições estrangeiras.

 5365          29          104


Quanto à Formação e Capacitação discente, nossas atenções estão voltadas para garantir o contínuo aperfeiçoamento dos alunos nas linhas de investigação substantivas do Programa bem como em metodologia de pesquisa, teórica e empírica. Manter uma estrutura curricular e a oferta de disciplinas, em quantidade e qualidade adequadas nos níveis de Mestrado e Doutorado, que assegurem sólida formação teórica e metodológica, constitui a principal meta. A oferta de treinamento em métodos e análise de dados tem requerido esforços de modernização de laboratórios de pesquisa e de estruturação de bancos de dados. A promoção de atividades extracurriculares tem sido outra estratégia praticada para favorecer a formação e capacitação discente. Exemplo concreto disso é a Programação de Seminários do DCP, que inclui os seminários de Departamento e de Áreas, os seminários especiais, nacionais e internacionais, bem como o Seminário Discente da Pós-Graduação em Ciência Política, destinado à apresentação pública dos trabalhos dos alunos, propiciando o exercício da exposição e do debate, bem como a circulação de conhecimento entre docentes e discentes, entre linhas de pesquisa do PPG e com a participação de comentadores externos. É bom frisar que os alunos são incentivados a participar dos encontros científicos da área e os resultados alcançados nos últimos anos têm sido excelentes, com quase uma centena de participações por ano em eventos nacionais e internacionais (com destaque para ABCP, ANPOCS, LASA, IPSA, MPSA, APSA, ALACIP e ISA). As publicações discentes também apresentaram resultados expressivos, muitas em periódicos que figuram nos estratos superiores do Qualis. O número de teses e dissertações concluídas tem se mantido elevado e muitas têm sido premiadas em concursos tradicionais como o da ANPOCS e da CAPES.

19          68          5341

Quanto ao objetivo de Inserção Social e Cooperação Acadêmica Institucional – temos apresentado notáveis resultados de nucleação do corpo discente e de participação associativa e institucional do corpo docente. Como destacado acima, muitos docentes do PPGCP ocupam cargos de direção em associações acadêmicas e profissionais, brasileiras e internacionais, colaborando decisivamente para o desenvolvimento da área. Outros participam ativamente do debate público, com intervenções na mídia escrita e televisiva. Por meio dos Núcleos de Pesquisa, muitos trabalhos de extensão têm sido realizados, com destaque para as áreas de políticas públicas e negociações internacionais. Em escala internacional, consideramos que a iniciativa de organizar a “Summer School on Concepts, Methods and Techniques in Political Science” foi uma das principais contribuições do DCP (em conjunto com o IRI) à ciência política brasileira nos últimos anos. A IPSA-USP Summer School já propiciou formação de alta qualidade a mais de 500 estudantes do Brasil e de vários países estrangeiros desde 2010. Nossa intensa programação de seminários e eventos deve ser igualmente considerada como forma de promover inserção social – uma vez que são abertos e destinados ao público mais amplo – e cooperação acadêmica institucional – uma vez que promovemos a participação de pesquisadores de outras instituições, nacionais e estrangeiras. Por fim, mas não menos importante, essa meta é perseguida por meio de inúmeros convênios e projetos interinstitucionais, com entidades nacionais e estrangeiras, em torno do desenvolvimento de pesquisas e da formação de alunos em nível de pós-graduação.

 5636

Constituem desafios do PPGCP para os próximos anos:
- Garantir a crescente internacionalização do ambiente acadêmico, por meio do fomento do intercâmbio de mão dupla de professores e estudantes, de modo que o ensino, a pesquisa e a produção intelectual se deem em diálogo permanente com a produção internacional.
- Manter a política de atração de pesquisadores visitantes estrangeiros com boa formação e destacada produção intelectual.
- Estimular estágios de pós-doutorado no exterior, dando-se prioridade aos docentes contratados mais recentemente.
- Estabelecer programas específicos que permitam visitas e estágios de curta duração de pesquisadores internacionais ao PPGCP, bem como assegurar o funcionamento permanente da Summer School on Concepts and Methods and Tecniques in Political Science and International Relations.
- Oferecer condições de permanência para estágios de curta duração a estudantes estrangeiros.
- Fazer com que a cooperação com pesquisadores estrangeiros resulte concretamente na internacionalização da produção intelectual docente.
- Garantir o contínuo aperfeiçoamento da formação em metodologia, seja para aprimorar os resultados de pesquisa, seja para contribuir com o desenvolvimento da própria Ciência Política:
- Assegurar o oferecimento de disciplinas de métodos quantitativos e qualitativos.
- Recorrer a outras unidades acadêmicas, locais, nacionais e internacionais que possam de alguma maneira contribuir para este esforço permanente de formação em metodologia, teórica e empírica.
- Constituir, como base desta política de treinamento em métodos e análise de dados, laboratórios de pesquisa estruturados em torno de bancos de dados organizados pelos pesquisadores das linhas de Política Brasileira e Política Comparada e Relações Internacionais e propiciar a formação metodológica qualitativa apropriada para os pesquisadores de Teoria Política.
- Manter e consolidar o espaço de intercâmbio e troca de conhecimento entre pesquisadores locais, nacionais e estrangeiros, por meio de workshops e dos Seminários da Pós-Graduação, além das chamadas office-hours com professores visitantes.

 5365                                2A


Internacionalização

A internacionalização pode ser considerada não só uma das principais metas do PPGCP como aquela na qual obtivemos maior avanço nos últimos anos. O passo decisivo foi ir além da ideia de internacionalização como circulação de pesquisadores (sem abandoná-la, evidentemente) para adotar o conceito e a estratégia de internacionalizar o ambiente no qual se dão a formação discente e a produção intelectual de professores e alunos do PPGCP. Com este princípio em mente, todas as ações, das mais cotidianas como a preparação de um curso, até as mais ambiciosas como organização de eventos e elaboração de convênios, passam a ter na dimensão internacional uma referência central. Nesse sentido, são exemplos que se traduziram em resultados concretos nos últimos anos:
- Atração de professores visitantes estrangeiros para ministrar disciplinas, contribuir para a formação em métodos e técnicas de pesquisa, cooperar em projetos de pesquisa e na orientação dos estudantes. Desde 2011, tivemos a presença de vários professores visitantes, oriundos das mais diferentes e importantes universidades estrangeiras tais como Ernesto Calvo (Universidade de Maryland), Roberto Gargarella (Universidad de Buenos Aires), José A. Cheibub (University of Illinois), Matthew Taylor (American University), Laura C. Ferreira-Pereira (Universidade Técnica de Lisboa), Milan Svolik (University of Illinois), Marcos Novaro (Universidad de Buenos Aires), Gianpaolo Baiocchi (Brown University), Juliette Grange (Université de Nantes), Gisela Zaremberg (FLACSO, México), Guy Whitten (Texas A&M University), Timothy Power (University of Oxford), Miguel Rossi (Universidad de Buenos Aires), Clive Thomas (University of Alaska), Par Engstrom (University College London), Matthew Winters (University of Illinois), Arnaud Le Pillouer (Université de Cergy-Pontoise), Scott Greer (University of Michigan), Antonio Costa Pinto (Universidade de Lisboa) e Gabriel Negretto (CIDE-México). Além de ministrarem cursos, os professores estrangeiros colaboraram na orientação dos projetos de pesquisas de alunos, participaram de reuniões e realizaram conferências (Programa de Seminários do PPGCP) abertas, dirigidas a todos os alunos e professores e abertas ao público em geral.
- Atração de alunos estrangeiros, de modo direto por meio da seleção regular ou indireto por meio de programas especiais como o PEC-PG do consórcio CAPES/CNPq/Ministério das Relações Exteriores. Nosso desafio principal é o de internacionalizar o processo de seleção, de modo a atrair um maior número de candidatos estrangeiros.
- A Summer School on Concepts, Methods, and Techniques in Political Science and International Relations, como já destacado, representa um dos mais importantes passos na internacionalização do ambiente acadêmico de formação e produção intelectual do PPGCP.

05                                     00


- Na mesma frente de internacionalização, o Colóquio Internacional de Teoria Política tem promovido o debate sobre temas da agenda contemporânea, com a participação de professores brasileiros e estrangeiros, tais como Philippe Van Parijs (University of Louvain e University of Oxford), Gustavo Pereira (Universidade de la Republica), Roberto Gargarella (Universidad de Buenos Aires) e Marcos Novaro (Universidad de Buenos Aires).
- À internacionalização do ambiente acadêmico por meio da vinda de professores visitantes somam-se iniciativas de intercâmbio internacional e junto ao PDSE da Capes. O frutífero intercâmbio entre alunos e professores visitantes tem contribuído também para estimular e pavimentar tentativas de realizar cursos no exterior, alguns avulsos, outros na forma de bolsa sanduíche e até mesmo de doutorado completo. Desde 2011, cerca de dez de nossos doutorandos realizaram bolsa sanduíche e mais de uma dezena foi aprovada em doutorados plenos no Exterior.
- Docentes do PPGCP coordenam projetos internacionais de pesquisa, com financiamento estrangeiro e produção intelectual publicada em outros idiomas, por prestigiosas editoras internacionais. Outros têm participado de missões internacionais de difusão do conhecimento científico produzido no Brasil, tais como as organizadas pela FAPESP (Fapesp Week, no Woodrow Wilson Center de Washington, e Fapesp Frontiers of Science na Universidad Salamanca) 

04                                   08


- Estágios de pós-doutoramento no exterior por parte dos docentes. Dentre professores integrantes do corpo permanente, 15 realizaram Pós-Doc na carreira, sendo 12 deles no exterior, em universidades como Yale, Harvard, MIT, Columbia, New York, Oxford, London Sussex, British Columbia, North Carolina State e European University Institute.
- Na recepção e organização de grandes conferências internacionais, tal como a Joint Conference “Whatever Happened to NorthSouth?”, patrocinada conjuntamente pelo European Consortium for Political Research (ECPR) e pela International Political Science Association (IPSA). O evento teve sede na USP em 2011 e foi organizado pelo DCP em colaboração com a ABCP. Contou com cerca de 700 participantes, provenientes de todos os continentes. Dado o seu alcance, a conferência representou um passo importante na direção da internacionalização da pós-graduação no Brasil.
- A participação em congressos científicos internacionais é outra medida básica do grau de internacionalização do PPGCP, elevada não só no caso dos docentes mas também dos discentes, conforme atestam as informações contidas no presente relatório.
- Às redes e parcerias com centros internacionais de excelência, somam-se a participação institucional de docentes na direção de associações científicas internacionais e na condição de peer review em revistas de prestígio internacional.

50

"Esperança! Estive em São Paulo, a convite de alunos e professores de Ciência Política da USP. Que prazer rever, ainda que rapidamente, amigos como Sérgio Adorno, pensar junto com vários intelectuais criativos, receber inteligentes perguntas e críticas de Rogério Arantes e de vários alunos. Os alunos organizaram, e muito bem, o evento. Mas Deus me reservara mais graças: jantar e conversar com promissores jovens estudantes da pós-graduação, sobre seus planos e dificuldades, que organizaram um simpósio de alguns dias. Falar, durante o jantar, sobre os sonhos de cada um (a), sobre Carl Sagan e sobre modelos caóticos, que só consegui compreender vendo e ouvindo palestras de Stephen Jay Gould. E ter interlocutores participantes ao redor da mesa... Dia pleno!" Gláucio Soares